Ministro Blairo Maggi visita a UFPR e concede entrevista ao PECCA

blairo

Foto: Ministro Blairo rodeado pelo Coordenador no MBA em Gestão do Agrnegócio, João Batista Padilah Jr., Prof. Luiz Lucchesi, Reitor da UFPR Zaki Akel e o Diretor do SCA Amadeu Bona Filho na Fazenda Canguiri.

O atual Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento visitou o Setor de Ciências Agrárias da UFPR, por conta da comemoração de 40 anos da turma de Agronomia, da qual o ministro fez parte.
Neste dia, além de participar de uma visita aos departamentos para conhecer as atividades desenvolvidas pelo Setor, também concedeu à Equipe do PECCA uma entrevista.
Confira abaixo na íntegra:

PECCA – Quais as expectativas para o agronegócio brasileiro para os próximos anos?

Blairo Maggi – “Eu defendo a ideia de que na crise que o brasil se encontra, uma crise econõmica bastante profunda e também política. Mas a política se resolve na política e a econômica para mim vai se resolver no campo. O Brasil é muito forte nessa área, tem conhecimento, tem expertise e nós devemos abrir cada vez mais os mercados internacionais e vender nossos produtos. E isso dá uma expectativa muito grande para o campo.
Nós hoje somos responsáveis por 7% do mercado intenacional, de produtos do agronegócio que é torno de u trilhão de dólares e nós queremos levar isso a 10%. Ou seja 3% em 5 anos.
Esta é uma tarefa muito grande, mas eu acho que esse é o caminho do agronegócio brasileiro. Neste contexto não precisa citar as oportunidades que surgirão neste campo e no meio do agronegócio brasileiro como um todo.

PECCA – Quais pontos são destaques no bom desempenho do Agronegócio?

Blairo Maggi – São vários! Começa desde o ensino, da pesquisa, da produção de sementes, máquinas agrícolas mais eficientes, produtores tiveram oportunidade de sair de uma safra para duas safras no Brasil inteiro praticamente. Tudo isso se deve a quantidade e qualidade tanto dos financiamentos quanto da biotecnologia, portanto não tem um item único de destaque e sim um conjunto.
Importante ressaltar que o Brasil cresceu nos último 30 – 40 anos muito mais na produtividade, economizando terras. Se tivesseos mantido as mesmas médias de expansão de 30 anos atrás, teríamos que ter avançado sobre as florestas brasileiras em 3,3 x do que fizemos até agora.
Então o crescimento foi b mais por produtividade do que por aumento de área.
No Brasil ocupamos apenas 8% do território para fazer a agricultura, contra 13% de reservas indígenas, 11% de APP’s e reservas legais nas propriedades rurais e temos 61% do território preservado, em comparação ao tempo do descobrimento por Cabral.
Então é um país que tem o que eu acho de “Green Card”, o “Passaporte Verde” para andar no mundo inteiro e dizer para os outros países que se fizerem o que fazemos nas questões ambientais poderão nos criticar, mas vocês não o fazem , portanto não podem criticar nossas ações.

Fonte: PECCA UFPR

www.mbaagronegocio.ufpr.br 

Recommended Posts

Leave a Comment