Produtores de nova horta no Tatuquara fazem a primeira colheita de hortaliças

Os 36 produtores urbanos da nova Horta Comunitária Monteiro Lobato, no Tatuquara, iniciaram nesta segunda-feira (13/5) a colheita das primeiras hortaliças cultivadas no espaço de 4,4 mil metros quadrados. Dos canteiros, as famílias começaram a levar para casa pés de alface, couve, alho porró, rúcula, almeirão e escarola, além de temperos como cebolinha e salsinha.

A nova horta do Tatuquara foi inaugurada, no mês passado, pelo prefeito Rafael Greca. “Desde a inauguração, eu venho diariamente molhar meu canteiro e ver como as mudas estão crescendo. Além de começar a colher para mim e minha família, também vou doar para vizinhos e vender”, conta o aposentado Benedito Fermino Pereira, 75 anos. Segundo ele, a horta vai permitir uma redução nos gastos com hortaliças. “E todo dia vai ter verdura fresca lá em casa”, garante ele, enquanto retirava da terra com orgulho alface, beterraba, alho porró e outras hortaliças.

Quem também não via a hora de iniciar a colheita das hortaliças na Monteiro Lobato era a funcionária de serviços gerais Antônia Oliveira Souza Camargo, 62 anos. Ela levou para casa pés de alface, almeirão, mostarda, escarola, salsinha e cebolinha. Além disso, estava curiosa com o sabor da primeira planta alimentícia não-convencional (Panc), a peixinho da horta, cultivada no local. “Sei que depois que a gente frita, ela fica parecendo mesmo um peixe”, salienta ela, sobre a Panc, que é preparada como aperitivo e tem propriedade béquica (age na irritação da garganta).

O aposentado João Rodrigues de Barros, 77 anos, passou o último mês cuidando de seu canteiro. “A gente vem todos os dias, de manhã, para regar”, recorda. Ele já sabe que só a família não conseguirá consumir os vistosos pés de alface, rúcula, almeirão, mostarda, escarola, salsinha e cebolinha. “Lá em casa sou só eu e minha mulher, Nadir. Assim, vou ter que dividir com os filhos e vizinhos”, antecipa Barros.

Líder comunitário do bairro e um dos produtores da nova horta, o autônomo Azevedo Pereira Pardinho, 47 anos, conta que parte da produção também começa a ser entregue para a Associação de Proteção à Infância Vovô Vitorino. A entidade do Tatuquara atende 95 crianças e adolescentes de 3 a 12 anos. “Os mais novos, de 3 a 5 anos, passam o dia na Vovô Vitorino e as verduras doadas pelos produtores serão usadas no preparo do almoço deles”, conta ele.

Maria Júlia Xavier, representante da Associação de Proteção à Infância Vovô Vitorino, agradeceu a entrega dos primeiros alimentos e afirmou que as hortaliças serão muito importantes para as crianças atendidas pela instituição. “Além de gastarmos menos com comida, também vamos ter mais legumes fresquinhos no almoço”, avalia ela.

Programa

A Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab) mantém o Programa Hortas Comunitárias desde 1986. São 27 áreas cultivadas por 900 famílias de produtores urbanos e que se espalham sob linhões de energia, em terrenos públicos e áreas da iniciativa privada.

O secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Luiz Gusi, lembra que as hortas comunitárias têm um papel que vai além do cultivo de frutas e hortaliças saudáveis para consumo próprio. “Também é uma atividade terapêutica, de relaxamento e de convívio social. Pode gerar ainda renda com a venda de excedentes, economia na compra desses produtos e até alguns outros benefícios, como educação ambiental e alimentar”, justifica ele.

As hortas comunitárias estão localizadas nos bairros Cajuru, Rebouças, Sítio Cercado, Tatuquara, Campo do Santana, Fazendinha e CIC.

 

FONTE: http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/produtores

Recommended Posts

Leave a Comment