A AGRICULTURA ORGÂNICA E BIODINÂMICA COMO ALTERNATIVAS PARA UMA AGRICULTURA SUSTENTÁVEL

agriculturaA agricultura atual se baseia, quase completamente, na monocultura e produção em larga escala, principalmente na produção de grãos. Neste contexto, em busca de uma maior produtividade, adotou-se o uso de mecanização, automação dos sistemas de produção, alta tecnologia, e grande consumo de energia, água, agroquímicos e matérias primas não renováveis. No entanto, este tipo de produção não se mostra eficaz em longo prazo, pois o solo torna-se pobre, ocorrendo erosão, contaminação da água com os agroquímicos, defensivos químicos. Com grãos geneticamente modificados, as plantações sofrem com pragas cada vez mais fortes, e este sistema acaba excluindo pequenos produtores que não têm como concorrer com grandes empresas.
O Brasil é um dos países mais importantes no setor de agronegócio. Historicamente produtor de larga escala por apresentar grandes áreas para as plantações, o país importou quase todas as espécies consumidas atualmente, tornando-se um desafio adaptar estas plantas às adversidades tropicais com sistema de produção e alimentos dos países temperados. A partir dos anos 70, com a presteza dos adubos químicos, com a facilidade de controle de ervas daninhas pelos herbicidas e com pesticidas mais abrangentes, podia-se plantar tudo em qualquer lugar. Não se enxergava a possibilidade de tirar lições dos ecossistemas tropicais ou considerar como vantagens a irradiação solar constante, as estações pouco demarcadas, a intensa amplitude diária, a diversidade de microrganismos e insetos.
Os produtos orgânicos e biodinâmicos não usam produtos químicos e são produzidos em uma escala bem menor, geralmente em pequenas propriedades, mas com mais valor agregado. Com cada vez mais produtores, o setor tem se desenvolvido por conta de consumidores cada vez mais preocupados em consumir produtos mais saudáveis e que não prejudiquem o meio ambiente. Estes produtores aproveitam melhor o solo e a características ambientais de cada região e devolve à agricultura sua força original. Promovem a diversidade de sementes e se preocupam com a conservação dos recursos hídricos e no equilíbrio do meio ambiente.
A agricultura diversificada, com um maior conhecimento das características do ambiente e com o emprego de tecnologia que melhorem a produção e a qualidade dos alimentos, respeitando e agregando ao meio ambiente tem se mostrado viável e rentável e será a nossa única opção no futuro.

Clarice Zimermann é pós-graduada no curso de Economia e Meio Ambiente – O desafio da Economia Vrde pela Universidade Federal do Paraná.

Recent Posts

Leave a Comment