Ministério da Agricultura reconhece primeira raça bovina paranaense

Raça-Purunã-animal-e-filhote-507x338

Animais da raça Purunã (foto Iapar/ divulgação)

 

Nesta quarta-feira, dia 26 de abril, no Palácio Iguaçu, às 10h30, será realizado um evento para reconhecimento oficial pelo Ministério da Agricultura da primeira raça bovina paranaense, batizada de Purunã.

A raça foi desenvolvida pelo Iapar (Instituto Agronômico do Paraná) desde a década de 1980. Buscou-se animais de alta produção com ênfase em rendimento, conformação e carcaça, acabamento e principalmente precocidade. Com esse objetivo, o Iapar utilizou as raças Angus, Canchim, Charolês e Caracu para formar um híbrido com as melhores características de cada raça.

O resultado após mais de 30 anos de cruzamentos e estudos foi a raça Purunã, que tem como abrangência de produção o Sul, Sudeste e Centro-oeste do Brasil. Por ter composição racial de 25% Caracu e 10% Zebu, o Purunã apresenta rusticidade, tolerância ao calor e resistência a ecto e endo parasitas. Com 40% de Charolês, os animais Purunã demonstram alta velocidade de crescimento e ganho de peso e produzem carcaças que fornecem grande rendimento com elevada porcentagem de carnes nobres. E, com 25% de Angus, demonstra alta precocidade, tamanho adulto moderado, temperamento dócil, marmoreio e maciez da carne.

No ano de 2011 iniciou-se uma parceria entre os pesquisadores Daniel Perotto, do Iapar, e professor Alexandre Leseur dos Santos, do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Paraná – Setor Palotina. O principal objetivo era possibilitar trabalhos em produção de bovinos de corte para a orientação de alunos de graduação e mestrado da instituição. A parceria rendeu diversos trabalhos de iniciação científica e três dissertações de mestrado, sendo uma delas já defendida.

Outro fruto da parceria foi o desenvolvimento, no final de 2016, da primeira Avaliação Genética do Gado Purunã, que será disponibilizado em forma de revista impressa, e será publicada pela imprensa do Iapar. Esta avaliação também propiciou a geração do Certificado Especial de Identificação e Produção (CEIP) dos animais Purunã. O certificado é disponibilizado para os 25% melhores animais do rebanho presentes na Avaliação Genética.

O Sumário selecionou os melhores animais e melhores machos do rebanho. Desta maneira, os produtores podem utilizar a publicação para agregar valor aos animais que aparecem no sumário, tal como identificar possíveis touros a serem adquiridos. Tudo isso comparando o seu rebanho com os animais que aparecem no Sumário. “A parceria tem tudo para continuar e inclusive aumentar”, diz o professor Alexandre.

Fonte: Simone Meirelles – Portal UFPR 

 

Recommended Posts

Leave a Comment