Área de manejo florestal vai chegar a seis milhões de hectares

floresta nativa

A perspectiva faz parte do plano de ação ao cumprimento das metas assumidas pelo governador Pedro Taques na Cop 21

As áreas passíveis de ‘manejo florestal sustentável’ em Mato Grosso deverão saltar de 2,8 milhões de hectares, para 6 (seis) milhões nos próximos anos. A previsão foi apresentada na última quinta-feira, 31, na 3ª reunião ordinária do Cipem (Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso), que faz parte do plano de metas do Estado para a COP-21.

Durante o encontro que foi conduzido pelo presidente do Cipem, José Eduardo Pinto e que contou com a presença dos presidentes sindicais associados á instituição, o secretário-adjunto de Agricultura da Sedec, Alexandre Possebon, comentou sobre a necessidade de realizar ações integradas com o Cipem, para promover o aumento da produtividade florestal com a base sustentável.

“É preciso pensar de forma integrada, não só na floresta plantada, manejo do solo e recomposição vegetal, como em técnicas relevantes para aumentar a produtividade dos derivados florestais como um todo. Estamos propondo ao Cipem uma parceria, para que juntos possamos encontrar uma forma de alavancar e agregar valor aos produtos de floresta nativa, assim, ao invés de exportamos madeira bruta, como tem acontecido, iremos agregar valor e beneficiá-la aqui no Estado agregando maior valor à base industrial”, comentou Possebon.

Sobre o assunto, o presidente do Cipem, avisou que a instituição está à disposição, reforçando que a “proposta” de fomento para o segmento já aconteceu ao longo dos antigos governos, mas na prática, isso não aconteceu.

“Estamos há muito tempo buscando condições para trabalhar. Todas essas propostas são anseios antigos do nosso setor, o problema é que quando troca o governo temos que voltar a estaca zero. O que podemos afirmar é que estamos à disposição para trabalhar em conjunto e cumprir as metas da Cop-21, mas precisamos de uma política que não mude quando ocorre a troca de mandatos. No governo Pedro Taques, estamos encontrando apoio, mas temos que garantir a continuidade de todos esses projetos também para os próximos governos”, avalia José Eduardo.

A reunião também debateu o andamento dos trabalhos de reestruturação da Pauta da Madeira de MT, que após a conclusão da proposta deverá ser apresentada ao Governo. Também foi discutida a reestruturação da Secretaria do Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema), na qual o Governo do Estado e setores produtivos mato-grossenses, incluindo o Cipem, vão trabalhar em conjunto para implantar o primeiro projeto do Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP).

Parte do programa – o projeto “Licenciamento Eficiente” – foi lançado na última sexta-feira, 1, cujo objetivo é promover uma mudança e modernizar processos e rotinas do órgão ambiental, bem como reduzir em até 30% o tempo de análise e resposta ao cidadão quanto à emissão de licenças ambientais.

MBA EM GESTÃO FLORESTAL 2016 – Inscrições abertas

www.florestal.ufpr.br

Fonte: Painel Florestal

Por: CIPEM

Recommended Posts

Leave a Comment