Revolução sustentável através da nanotecnologia

O impacto das ações humanas na natureza são cada vez mais perceptíveis. Para promover um ambiente habitável para as próximas gerações, um pensamento sustentável é fundamental, prevenindo o desperdício e estimulando soluções inteligentes. A nanotecnologia é uma delas. Neste artigo, veja sua aplicação em algumas áreas e como ela proporcionou revoluções sustentáveis!

Um dos mais celebrados físicos do mundo, Stephan Hawking, concedeu no início de maio uma entrevista onde declarou que humanos têm menos de 100 anos para conseguir sair da Terra.

A frase alarmante, embora pareça exagerada para alguns, desperta sem dúvidas uma grande reflexão sobre medidas cada vez mais sustentáveis para o Planeta, de modo a promover um ambiente habitável para as próximas gerações.

Entre tantas tecnologias convergentes em voga atualmente, a nanotecnologia se faz útil e oportuna na discussão sobre sustentabilidade. Com o uso racional e inteligente de menores quantidades de materiais, vai na contramão do desperdício e estimula estudos cada vez mais aprofundados sobre o tema.

Abaixo, separamos três aplicações da nanotecnologia na sociedade que promoveram revoluções sustentáveis em suas áreas:

AGRICULTURA INTELIGENTE

Cerca de 50% de todo o fertilizante utilizado na agricultura brasileira é desperdiçado, seja na volatilização do produto, seja na própria lixiviação (difusão para as camadas mais inferiores do solo, de modo que este diminui o efeito na superfície, onde é mais importante). O Brasil, país expoente na agricultura mundial, investe bilhões de reais no emprego desses produtos, criando assim um terreno fértil (com o perdão do trocadilho) para novas oportunidades.

Conquistas recentes na nanotecnologia criaram fertilizantes com liberação controlada, os quais diminuem as perdas por volatilização e lixiviação do produto. Para um setor onde tal funcionalidade pode representar até 40% do custo de produção, a notícia pode ser um alívio aos produtores.

COMBUSTÍVEIS DE ALTA EFICIÊNCIA

Em um de seus grandiosos projetos de exploração de novos planetas, a NASA desenvolveu um projeto que visava a produção de um combustível sustentável, que utilizasse recursos dos planetas em que a agência destinasse seus foguetes, a fim de viabilizar a extensão de suas missões espaciais. Como resultado, nasceu o projeto ALICE (Aluminium ICE), numa referência ao emprego de nanopartículas de alumínio misturadas com gelo (presentes, por exemplo, na superfície de Marte e de vários asteróides já mapeados pela NASA).

O pequeno diâmetro das nanopartículas de alumínio, que medem pouco menos de 100 nanômetros, permite o aumento expressivo no desempenho do combustível. Estas entram em combustão mais rapidamente do que as partículas maiores e permitem um melhor controle sobre a reação e o empuxo necessários para sua operação.

ADITIVOS QUE REDUZEM ETAPAS E DIMINUEM CUSTOS DE PRODUÇÃO

Um de nossos cases de sucesso da indústria, voltado para a área de tintas em pó (você pode acessá-lo aqui), está relacionado à incorporação da propriedade antimicrobiana em tintas em pó, aplicando diferentes aditivos TNS na formulação convencional de um cliente. Além disso, a utilização do aditivo final recomendado facilitou o processo do cliente, eliminando uma etapa inteira no processamento das tintas em pó, o que resultou em aumento da produtividade e uma redução de custo expressiva. Nessa aplicação, a sustentabilidade se faz extremamente presente se olharmos para a definição mais primitiva do termo: “utilização de recursos de maneira controlada, racionalizada e com planejamento”.

Como foi possível perceber, nanotecnologia e sustentabilidade atuam em conjunto para, em linhas gerais, diminuir o emprego de determinadas substâncias a partir da diminuição do tamanho de partículas e consequente aumento da eficiência dessas soluções. Em outras palavras, com a nanotecnologia “faz-se mais com menos”.
Nossas soluções são focadas na utilização de menores quantidades de aditivos que as soluções tradicionais, sem que para isso haja qualquer mudança no processo produtivo. Com isso, é possível incorporar novas funcionalidades a têxteis, polímeros, papéis, materiais cerâmicos, entre outros, sem que isso altere ou estenda o tempo de produção de seus produtos. Quer saber mais sobre como a nanotecnologia pode beneficiar o processo produtivo na sua indústria? Entre em contato com nossos consultores e tire suas dúvidas!

Fonte: TNSolution

Recommended Posts

Leave a Comment