Engenheiro surfista de Florianópolis desenvolve modelo de prancha sustentável

Produto é feito com materiais não convencionais, como a utilização da madeira na fabricação.

Pranchas desenvolvidas por David Weber (Foto: David Weber)

A moda old school aliada à tentativa de melhorar a relação do surfe com o meio ambiente, são as principais características das pranchas desenvolvidas pelo engenheiro profissional, shaper desde 2008, David Weber, em Florianópolis. O resultado substitui os materiais convencionais, fomenta a sustentabilidade e retrocede às origens, com a utilização da madeira na fabricação.

A iniciativa integra a série de reportagens do SC+ e mostra como a diversidade do universo do surfe oferece, a partir do trabalho de desenvolvimento de produtos, possibilidades acessíveis a uma gama cada vez maior de surfistas preocupados com o meio ambiente.

Shaper David Weber (Foto: David Weber)

“Desde quando comecei a fazer pranchas de materiais convencionais, como EPS [poliestireno expandido] e PU [poliuretano], já tinha a ideia de construir pranchas de materiais alternativos, que pudessem reunir a preservação do meio ambiente, tecnologia e arte. Foi assim que encontrei a madeira como o material mais nobre que poderia ser utilizado, o mesmo das primeiras pranchas do passado, mostrando um novo caminho para o futuro”, afirma.

A partir disso, Weber tem se dedicado ao desenvolvimento de novas pranchas, melhorando os processos construtivos e shapes. “O grande desafio tem sido construir pranchas que sejam leves, utilizamos madeira de Paulownia, árvore de origem asiática que tem a madeira mais renovável do mundo. Com isso, as obras de arte são acima de tudo funcionais, pois no surfe não é possível deixar de lado a performance, que nas ondas significa diversão ”, explica.

Processo de construção da prancha (Foto: David Weber)

O engenheiro garante que a surfabilidade é similar às pranchas convencionais. Para chegar ao método de construção, ele adaptou várias técnicas de construção naval que resultaram num processo limpo e silencioso.

Segundo o shaper, são necessárias aproximadamente 60 horas de trabalho para fazer cada uma das pranchas. O resultado é de um equipamento leve, resistente, que não amassa ou deforma e pode durar a vida toda, seja utilizando nas práticas esportivas ou até mesmo como objeto decorativo. Ele também afirma que por ser um produto artesanal, as pranchas acabam sendo exclusivas. “Também tem a beleza natural da madeira, veios, nós, tonalidades, imperfeições. Esse conjunto forma infinitas combinações e são únicas de cada prancha”, destaca.

Alunos de curso que ensina a fazer as pranchas sustentáveis (Foto: David Weber)

Além disso, Weber compartilha a experiência e também incentiva a conscientização ambiental, por meio de cursos em que cada participante tem a oportunidade de desenvolver a própria prancha.

“Para fazer uma prancha oca de madeira são utilizados um conjunto de técnicas que proporcionam a grande satisfação em transformar simples tábuas de madeira numa prancha. O processo foi adaptado para que seja possível realizar em ambientes públicos, para todos os tipos de pessoas, com ou sem experiência em shape de pranchas ou trabalhos manuais”, explica.

Curso de construção das pranchas (Foto: David Weber)

Desde o início dos cursos em 2015, foram feitas mais de 400 pranchas, que envolveram 200 pessoas de todos os estados do país. A iniciativa também rendeu a premiação “The Best in Show”, oferecida na The Board Trader Show 2016, na categoria sustentabilidade. Para os próximos passos, Weber planeja levar o workshop para outras localidades ao redor do mundo que estejam ligados ao surf. “Será um novo desafio, um workshop diferente a todos os anteriores, porque começaremos do zero, sem levar nada, então a aventura começa conhecendo o lugar, montando as ferramentas, preparando e selecionando as madeiras e todos os materiais a serem utilizados no curso”, finaliza.

Prancha pode ser utilizada como objeto de decoração (Foto: David Weber)

Serviço

David Weber Surfboards
Início das atividades: desde 2008
Contato: david@davidweber.com.br
Mais informações no site: davidweber.com.br

 

Fonte: Anaísa Catucci, Especial Do G1 SC 

Recommended Posts

Leave a Comment